Google+ Followers

Siga-me! Cadastre seu e-mail...

Jornadas... Hoje, eu decidi viver!

Author: Miguel de Paula /




Andei por caminhos difíceis e inesquecíveis, eu sei, e como sei...
Olhando sempre adiante com o sol radiante, onde sob meus pés, vejo a vida correr. E assim, a cada queda fiz um passo de dança para uma aprendizagem...
Aprendi... não tanto quanto quis, mas conheci o universo por um olhar diferente ao meu redor, aprendo a me conhecer melhor. E assim... aprenderei e tomarei decisões, escutarei melhor, viverei melhor cada momento.
Partirei em busca de novos sonhos e ideais, e tenho convicção que hoje, se encontram meu passado, presente e futuro. Hoje, será uma emoção de despedida...
Cheguei ao fim de mais de uma jornada. Mas, hoje ao mesmo tempo é meu ponto de partida!




(Miguel de Paula)

Tempos Romanos...

Author: Miguel de Paula /




São exatamente 08h05min em uma manhã nublada e fresquinha em Campo Grande, MS e eu aqui, preguiça violenta de ir para faculdade e com mil palavras em mente!


Acordei pensando nesta manhã sobre várias cenas que andei observando durante todos esses dias que se passaram! Me questionei: "Estamos na Roma antiga?" Questionei-me diversas vezes até que comecei a soltar gargalhadas pelos cantos de minha casa! A resposta? Advinha qual foi! haha. Lógica e simples!

Observei belos rapazes e esbeltas moças... Notei que atualmente cultuam o belo, não importa sexo, raça ou religião! Tempos Romanos, bissexualidade aflorada! Muitos dizem sem preconceitos! Ah, por mim tudo bem, mas a questão é: "Isso não esta virando modinha?" Vejo rapazes se pegando e um chupando ao outro, meninas roçando o velcro pelo simples fato de se nomearem bissexuais! Estranho, não? Evolução ou retrocesso? Afinal, o povo da grande Império Romano viviam dessa maneira!

Caminho pelas ruas e recebo em um só dia duas propostas de sexo, e ouço de uma forma como se meu corpo não se passasse de um mero produto: "Posso meter em você?" Fácil assim, não? Ironia do destino ou pegadinha? Pois bem, eis a questão! Não seria má idéia não é mesmo? Afinal, o que temos a perder? A juventude perdida, a educação é uma droga, o que seria mais uma "foda" em nossas vidas? Já somos "fodidos" o tempo todo!

Bem que poderia misturar as coisas, sexo anal era cultuado nos Tempos Romanos, porque não praticá-lo com mais freqüência? Não é mesmo? Haha! Doce gargalhada irônica da vida, cada coisa!

Porque não praticar uma rapidinha nas escondidas? Mais empolgante e aventuresco por uma prazerosa gozada, pois é, até eu já fiz dessas! Quem não fez? Julguem-me então!

Alguém poderia me explicar de onde veio os ideais bissexuais atuais? Antigamente era pelo simples fato da pessoa gostar de ambos os sexos sem saber explicar! Atualmente basta completar 11 anos já se nomeiam bissexuais pelo fundamento de que a pessoa é bonita e querem meter, chupar, dar, lamber e beijar! Nossa, quanto fundamento, não?

Em que tempos vivemos? Modernidade? Pós modernidade? Romano? Grego?

Será que estou desatualizado? Sou um cafona? Será necessário que eu faça um download de atualização? Afinal, fui projetado no final dos anos 80!

Quanta informação... "Afinal, em que tempo vivemos?"

Eis a questão!



(Miguel de Paula)

Luxúria ou Respeito?

Author: Miguel de Paula /




Campo Grande, MS., 12 de agosto de 2010.


Pelos prazeres da carne...
Sinto seus lábios, mordidas intensas com uma só finalidade...

Penetração... Força... Sedução... Dominação...

Sinto sua pele quente pelo calor do sexo junto ao meu corpo...
Calor toma conta, mãos e olhares entram em sintonia...

Língua passa sob a nuca sentindo seu sabor... Enlouquecendo com seu cheiro!

Loucura, loucura, loucura...

Meus extintos falam alto... Estamos em um carro em plena avenida! Meia Luz, ventando forte, os vidros tornam-se turvos com o calor de nossa respiração ofegante...

Pan, Deus do sexo, nos controla de forma insana!

As mãos descem, abrem as calças, os toques ficam mais fortes... Vamos gozar esta noite? Mordidas nos meus lábios aumentam, me puxa na sua sedução!

Domino, mãos seguras... Olho profundamente em seus olhos! Iremos consumar o ato?

Sentir seu gosto... Não! Não! Não! Coração pulsa forte... Os olhos abrem! "Ei, psitu! Acorde!" diz o coração.

Abro os olhos, seguro... Onde estou? Esta ao meu lado olhando nos meus olhos! Ei, respeito... Respeito!

Meu coração bate e implora... Não siga! Minhas mãos param, olho nos olhos e seguro-me! Puxaram meu freio! E você? Porque parou?

Os beijos retornam, mas que sensação estranha!

Abro os olhos novamente! Mas que doce ilusão... Consciência volta...

Optei pelo respeito, respeito à nossos corpos!

Querendo ou não, seus olhos ainda me atraem...

Contigo vou mais além do que uma simples penetração... Sou capaz de respeitar!

Estranho, não?

Doce ilusão ou grande sonho?

Fica a Dica...




(Miguel de Paula)

Afinal, o que me tornei?

Author: Miguel de Paula /





Pois bem, já são 01h56min da manhã, dia 25 de agosto de 2010... Resolvi escrever...


Após muito refletir, percebi no horizonte o por do sol onde me encantei e pensei "Fico sempre ocupado e como perco as obras de arte de Deus!" Fotografei e guardei a imagem como se fosse ouro pois essa imagem eternizada em minha mente me confortou de um momento de angustia...

Acordei pela manhã e notei como as pessoas dão valor para as "coisas" que não fazem a diferença, observei atentamente cada comportamento único de cada ser que se passou ao meu lado, e notei como somos diferentes... Muito diferentes! Já foi pego de surpresa com esses pensamentos? Pois bem, eu já! Muitas vezes!

Sentado fiquei, e muitas coisas na mente se passou, momentos, reflexões, casos, e princípios... Afinal, o que me tornei?

Pensei a respeito, e somente agora me veio novamente em mente, conversando com amigos notei que deveria voltar a postar e escrever no blog sem medo algum. Omiti muitas coisas, decisões precitadas, momentos da vida das quais resolvi me calar... Afinal, o que me tornei? Será que existe alguém capaz de me responder?

Viagens, Veuve Cliquot, roupas, jóias... Vida que muitos gostariam de ter, e o meu vazio como fica? Seria uma futilidade sem tamanha vergonha ou uma esnobe classe? Por que tanto julgado eu fui? Quer saber, quem sou?

Questionamentos, questionamentos... Ruim ou bom você criar uma auto-crítica de si? Arrancar suas máscaras e estuprar os sentimentos estranhos em suas entranhas? Esquisito, não?

Tão crítico me tornei que até com medo fiquei! Ironia e Sarcasmo tanto amei que logo um idiota me criei, e quem seria eu para tais julgamentos? Nossa, que estranho eu fiquei! Seria eu Miranda Pristley ou Hugo Gloss? Tanta definições evitei e conceituado eu fui...

Afinal, pelo amor de Deus, que ser eu me tornei?

Amei, apaixonei e gostei realmente de quem jogou intensamente com meus sentimentos... Hoje, eu pensei e refiz decisões que mudarão eu sei o rumo de muitos fatos em minha vida! Sumidas eu dei, fugas efetuei... Pisei no freio, está na hora de jogar algumas coisas fora! Perdão finalmente aprendi a pedir, consertar estou aprendendo a reparar os danos que causei! Mas, será que sou capaz de me perdoar?

Nossa, quantos pensamentos estranhos... Afinal, o que me tornei?

Pelo amor de Deus, será estranho refletir no que estou pensando? Cair na tentação, me jogar aos braços da luxúria, afinal, o que tenho a perder, não? Sentir os lábios, morder o pescoço, sentir um corpo ao meu, seria errado?

Afinal, Será errado consumar o ato sem amar? O que me tornei? Deixar muitos pensamentos aprisionados me tornarão um louco?

Deixar de olhar a pessoa que tanto me encantou de forma tão "carinhosa" é deixar de gostar? Sinceramente eu não sei! Bizarro esse questionamento ao meu ver!

Ai que vontade de me jogar ao mundo... Afinal, o que me tornei? Por que não me dizem quem sou?

Tanto julguei e realmente aprendi hoje que o justo não é belo, as vezes o justo pode parecer o injusto, contudo é o mais correto! Belas figuras podem ser venenosas! Cuidado! Afinal, o que me tornei? Belo ou fraco? Fútil ou prestativo? Quer saber? Foda-se! Precisava de uma dessas!

Então, "estupre" seus sentimentos, grite, cair na tentação eu farei? Talvez!

Vamos ver o resultado...


(Miguel de Paula)

Só você...

Author: Miguel de Paula /




Quem diria poder tocar…

Quem diria poder olhar nos seus olhos….

Quem diria nos darmos tão bem…

Quem diria compreender…

Quem diria… Quem diria… Quem diria…

Pouco tempo… Tanta coisa!

Tocar e sentir nas estrelas! Poder olhar nos olhos e expressar…

Como é bom! Como é bom!

Andar contigo sobre a brisa do anunciar da noite… Os lábios de mel tocando aos meus!

O calor do seu corpo abraçando o meu de forma sincera, sentir sua mão tocando a minha….

Só você é capaz, só você! Só você sabe decifrar os enigmas pois como dito foi “Liberdade é uma conquista, onde somente com o verdadeiro sentimento terás”

À você…



(Miguel de Paula)

Adeus...

Author: Miguel de Paula /




Desacreditei que um dia poderia tê-lo... Ter de uma maneira sincera, de maneira que ambos não se matariam...

Sim meus amigos, desacreditei naquele que já me fizera bem e mal...

Perdoe-me, mas preciso prosseguir! Forte é aquele de consegue e tem a capacidade de enfrentar os outros, mas somente é poderoso aquele que consegue enfrentar a si mesmo!

Eu, estou disposto a dilacerar meu coração e enfrentar meus próprios sentimentos e angustias, pois somente aquele que se conhece será iluminado!

Digo Adeus a você! Puro e dolorido sentimento, não posso tê-lo em meu coração! Sim! Sorrisos você já me deu, mas muitas lágrimas você me fez derramar! Muitas, muitas, muitas! Você é cego, tolo e imaturo, como pudera fazer isso comigo?

Destruiu sonhos, angustiou minha alma, infelicidades me trouxe!

Já passei por decisões complicadas e segui caminhos impossíveis, mas jamais achei que um dia aquele que confortei e tive dentro de meu coração, tentaria me "matar" pouco a pouco...

Mas, você tolo sentimento, esquecera que meu coração é forte, que está cercado pela muralha da esperança e defendido pela espada da felicidade que você tanto atacou! Vencera muitas batalhas, mas eu, consegui vencer muito mais!

Hoje, eu lhe dou Adeus!

Abri as portas e lhe coloco jogado ao vento! Pretendo não encontra-lo novamente! Preciso prosseguir minha jornada nesse caminho! O tempo é curto e a vida não nos espera! Fique! Não o quero! Não o desejo mais!

Você! Sim você AMOR! Não é mais digno de minha felicidade! Talvez o tempo nos ponha frente a frente novamente! Mas sei que eu não o aceitarei!

Sentimento infiel você foi! Lealdade? Não encontrei em você! Como pode? Sentimento infeliz!!!

Ódio, não é seu irmão como eu acreditei tantas vezes! O Ódio é você camuflado e doente! Contaminou meu coração com esse sentimento ingrato tantas vezes e somente hoje eu enxerguei!

Deixe-me! Seguirei meu caminho! Adeus! Adeus!
Sentimentos sentirão sua falta pois você os envenenou com sua grande amiga tristeza!

Fique com suas lembranças ingratas, com as pessoas que um dia você amou!

Àqueles que me julgam! Pergunto-lhes: O que é o amor? Vocês sabem? Tantos desejam e imploram pelo amor sem saber, mas confundem que não se passam de poços de angustias e luxurias, um pecado! E muitos de tanto pecar, jamais saberão me responder esses questionamentos!

Escalarei montanhas, e lá grito! Grito em busca de respostas como um eco!
Infelizmente o eco jamais retornará com a mesma intensidade!

Se eu pudesse colocar todo sofrimento que me causou! Não haveria mensagem que comportasse tais palavras!

Amor! Ingrato e indesejável Amor! Adeus meu caro!

Adeus! Adeus! Adeus!

Tudo isso eu escrevo à você!



(Miguel de Paula)

Meu eu...

Author: Miguel de Paula /




Hoje, estava sentado na frente do computador e conversando com um amigo que aprendi a admirar, quando ele me enviou um texto de sua autoria onde ele abre seu coração de forma singela e sincera, é um garoto, um menino, um homem de coração puro...

Ele é o rapaz que aprendi admirar... É um rapaz capaz de amar... É um rapaz de verdades...



(Miguel de Paula)


transcrevo:


Transcreve a sua beleza.
Cabelos loiros e sorriso meigo,
Atração que consome o ser
Como o fogo numa queimada,
Olhos verdes
Singelos e sinceros o bastante
Para tornar-se relevante.
Palavras que não atacam,
Essas desarmam e remontam
No corpo
Um coração e espírito despedaçados.
Por um segundo que dure,
Verdades de um ser
Que se abandona
Pela beleza do amado
Isso é minha versão
Do que ainda parece ser nada,
Mas que parece tudo
No seu coração existe...
Uma resposta a qual eu busco,
Mas o momento de dizer cabe a você
O que fascina
E o faz viver
Meu encanto.


(N. M.)

Grande criança...

Author: Miguel de Paula /



Campo Grande, MS., 20 de abril de 2010.


Quem diria! Amizade é algo indescritível do qual não sabemos de onde surge, de onde nasce...

Eu diria mil vezes e grande sábio seria se soubesse a origem desse sentimento que nos toma conta quando nasce uma amizade, uma amizade verdadeira daquelas escritas em romances e sentidas por aqueles que sabem e permitem-se amar.

Eu conheço, eu conheci, eu vivo...

Um grande menino, uma grande criança, infelizmente confesso que só soube dar valor quando o tive distante e demorei-me a perceber o quanto valor ele tinha. Seu sorriso tímido, mas sincero, seu medo, mas inocente, seu ego, mas sem arrogância, suas falas com um sorriso travesso me diziam muitas coisas e somente eu não percebia.

Grande criança... Ouve High School Musical, tem o boneco Troy Bolton na embalagem original, come Mc lanche feliz para ter os bonecos promocionais do Chaves, canta Luan Santana como um pássaro canta as manhãs ensolaradas... Ah! Meu doce amigo, uma grande criança...

Como é belo ouvi-lo falar, sorrir e cantar...

Vancouver, Vancouver, Vancouver... "Meu tênis canadense!" Palavras que ouço, me fazem rir alegremente... Ah! Como isso é bom!!!

Bermuda xadrez, tênis cadarços neon, camisa branca, moicano triangular, fala inglês de forma engraçada... Minha criança, sim, é a resposta: "Ele é a minha grande criança!" Não temo dizer em público isso, é o que me faz sorrir e me vê chorar, me ouve calmamente dando conselhos engraçados e verdadeiros... Seu jeito infantil de ser, a eterna criança viva diariamente sem temer represálias do mundo afora.

Somos e temos muitas diferenças que com o tempo deixamos a semente do respeito mútuo germinar, e hoje, suas raízes fortes nos faz cada vez melhor, mais ligados e para arrancá-las tenho absolutamente certeza que nem com rancor e uma grande decepção poderá ser derrubado esse respeito e destruída essa amizade.

Grande criança, doce menino...

Grande criança, me faz rir e sorrir, não gosta de animais, viciado em tecnologia, joga farmville, odeia orkut, lixeira de vaquinha no banheiro, guarda-chuva de bola, telefone de palhaço, coleciona adesivos das "Absolut" que toma e cola no notebook canadense, compra chocolates infantis e sai sorrindo de se deliciar nos sabores de "leite Ninho" e é claro... Quem não conheceu o Pascoal? Sim! esse mesmo, o Corsa branco!

Grande criança, doce amigo... É especial porque somente ele tem esse "jeitinho" de ser e ver a vida.

Meu meninão, grande criança, doce alegria, doces momentos... Como é prazeroso conviver e viver contigo... Sorria doce criança, chore e minta que está segurando as lágrimas, sorria de forma tímida, e claro, como posso esquecer!? Me enfrente, afinal você é "Andrea", o único capaz de enfrentar e com ironia dizer as verdades à "Miranda". "Para bom entendedor, meia palavra já basta!"

Amiguinho... Nós nos entendemos dessa forma! ^^'

"Ai, Miguel, pára!" Como estou acostumado com essa frase! Brigas e discussões que sempre terminam em abraços e sorrisos!

Somente você, doce pessoa...

Somente você, grande amigo...

Somente você, grande criança...

À você...

Grato estou, como se não houvesse amanhã...

Grande amiguinho... Minha grande criança...



(Miguel de Paula)

Seu encanto...

Author: Miguel de Paula /



Hoje estava lendo o texto do sábio poeta... "Me encantar"

Percebi algo que ele questionou...

"Que encanto é esse???? Preciso me encantar...ou será que é este meu serviço aqui...encantar os outros do meu jeito louco, desbocado, educado, sincero e com um largo sorrisão..."

Sabe, Sábio poeta, entre suas palavras me encantei, suas falas, seu jeito... Muitos se questionariam e seriam falsos tentando ter o seu brilho, como dizemos no popular: "Forçou a amizade"

Como a graça de uma criança você nasceu com esse brilho, você encanta a todos ao seu redor, seu jeito de caminhar, seu jeito de se expressar, sua forma educado e desbocado... Resolvi então responder tal questionamento pois também me perguntei: Como o sábio poeta poderia se encantar? Contudo obtive uma certa resposta lendo seu texto...

Sim, você me encanta! Mas somente encanta aquele que é verdadeiro, seu brilho é próprio e infelizmente poucas pessoas nascem com isso.

Raramente conseguimos nos reconhecer, se encante, me encante! Feche seus olhos e diga "quem sou?" Aposto que aos poucos verá seu grande brilho... Emocione-me, sorria! Seu encanto é incomparável!

Cada momento... continue... sei quem é você! E isso, resume-se em SALUM! Meu sábio poeta!

Só encanta os outros aquele que se encantou! Aquele que se conhece! Então, talvez você tenha se encantado e nem percebeu como... Está encantado!

Seu jeito moleque de ser, caminhando adiante sem temer, sua forma exclusiva...

Lembre-se: "Só é capaz de amar, aquele que se ama!"

Se encante, me encante... afinal qual nossa missão, sua missão?

Com o coração que encantado está terá suas respostas...



(Miguel de Paula)


Texto "ME ENCANTAR" De "O Camaleão"

http://ocamaleaosalum.blogspot.com/2010/04/me-encantar.html

Regras da vida...

Author: Miguel de Paula /



Acordar pela manhã...
Sentir o doce orvalho sobre seus lábios...
Dizer cautelosamente... "Eu te amo!"
Ouvir o que se deve...
Amar e amado ser...

Simples regras ditadas pela beleza do viver... Escritas na alma do puro ser...
Olhar pela a janela da terra divina, solo fértil e gramado verde ditam a você a jornada do amanhã...
Sol, belo astro que acorda as manhãs, seus leves raios entrelaçam entre as molduras das janelas, olhar adiante... O que se deve pensar?

Deliciar a vida como se dança um maravilhoso tango, passo a passo com sedução e cautela, regras escritas nas entranhas...

Siga, ao nascer regras impostas... Regras existentes... Cuidado! Nem tudo o que parece ser, realmente é...

"Ame ao próximo como a ti mesmo!" Regra da pura divindade, mas e se não conseguir amar como deveria? Respeita-o que estará fazendo o mesmo... Diferenças, respeite-as! Afinal eles também respiram, amam e vivem como você!

Escale cada montanha, aceite os desafios que são impostos! Quebre as regras e barreiras do preconceito, da discriminação, da hipocrisia... Escale as montanhas, escale as montanhas... Louve a liberdade que Deus lhe deu... Ao alcançar o pico, escreva entre as estrelas suas regras... Suas regras da vida...

Não deixe de amar aquele que não demonstra seus sentimentos pois ele pode estar amando-o com a sua maior força...

Sorria, para aqueles que lhe desprezam, afinal o sorriso é capaz de destruir barreiras...

Aprenda com seus erros, afinal críticas não são para destruí-lo e sim para aperfeiçoá-lo, então sorria para aquele que o critica! Aprenda o certo e errado e somente saberá que a vida tem um sentido e que certas regras surgem...
Regras do seu coração, do seu olhar, dos seus lábios, da sua felicidade, do seu tempo... Ame! Ame como se fosse o último dia pois poderá ser tarde demais para consertar seus erros! Mas se errou sempre há tempo para recomeçar!

Descubra o seu mundo, com toda certeza ele será mais excitante do que imaginará um dia! Viva a mágica de dançar a luz da dama da noite, a luz da doce lua!

Tolo é aquele que não entende...


Afinal qual a sua regra?




(Miguel de Paula)

Belo amigo...

Author: Miguel de Paula /



Campo Grande, MS., 20 de agosto de 2008.



Sentado tomando tereré...
Cabelos negros, olhos amendoados, vivos com a ternura de uma criança...
Sorriso cativante...

Este meu caro, és meu belo amigo!

Teu andar em direção ao horizonte somente eu sei...
Gingado de um moleque, atitudes de um carioca... Seria o menino do Rio?
Andas cantarolando, garrafão em mãos... Senta-te ao horizonte como se nada o perturbasse, observando cada gesto... Senta-te! Ouça o silêncio! Com um simples olhar já lhe diz o que deveria saber...

Doces... Sim! Doces e eternas palavras escreves... Como és belo amigo! Consegues dizer em pequenos versos palavras de conforto e eterna sintonia na melhor harmonia! Somente sei como são belas as falas daquele que sempre franco sabe ser...

Haja o que houver Belo amigo! Sim! Haja o que houver! Sei que em teu sorriso e olhares conforto nas horas de dificuldade encontrarei! Senta-te, é-me impossível esquecer o Silêncio!

Silêncio da verdade! És belo teu silêncio que muito diz, o silêncio que muito canta o coração!

Ouça teu coração, tu podes ouvi-lo cantar?

Belo amigo... Somente teu coração sabes cantar! No silêncio dizer que tem o Amor pela sagrada vida! Tudo gira em torto de ti, em torno daquele que sabe amar! Tu sabes o que digo...

Gracioso o mundo movimenta ao saber que nele tu estas vivendo, e tudo de repente parece um lugar perfeito como a beleza de teu coração... Belo amigo! Como és belo!

Escrevas em teu livro da vida, como és belo e tu perceberá...
Não há montanha tão alta
Não há rio tão profundo para se passar...
Cantando tua música, estarei ao teu lado...
Tempestades podem se formar e as estrelas se colidirem
Haja o que houver belo amigo...
O mundo gira em torno de ti e tudo tens para a eterna felicidade...

Aprender somente tu saberás o que realmente digo, pois somente tu me compreendes de verdade!

Ó, belo amigo! Saibas colocar pontos finais em tuas histórias... Não deixes pegarem com as mãos furadas o coração que somente no silêncio do amor sabes falar!
As estações podem mudar, inverno à primavera, mas jamais deixe o belo coração calar! Teu cantar! Teu cantar! Belo amigo! Teu cantar!

Não deixe tuas histórias incompletas pois muito a cantar tem teu coração, a cada momento não permita que arranque tuas páginas, continue escrevendo a tua história, pois há muitos parágrafos à serem editados! Lembra-te o que digo! És belo! O teu livro continua, novas páginas em branco tens a escrever!

Não há montanha tão alta
Não há rio tão profundo para se passar...
Cantando tua música, estarei ao teu lado
Tempestades podem se formar e as estrelas se colidirem
Haja o que houver belo amigo...

Estarei ao teu lado!

Sentado toma teu tereré...
Máscara de mistérios, manias e jeitos tens... somente tu tens!
Sabes analisar sem julgar cada ser, sem preconceito de raça, cor, credo ou sexo!
Tu és belo! Como tu és belo! Belo amigo!
Muito tem a dizer, mas que somente teu olhar sabe dizer!

Andas ao horizonte sem rumo! Sim! Belo amigo... Sei que em teus passos posso seguir! Caminhar contigo até o final da vida será uma eterna honra!
Terei a absoluta certeza que em meu leito de morte saberei que a vida não fora em vão, e com um sorriso falarei à ti: EU TINHA CERTEZA QUE TU VIRIAS!

Olhos vivos com a ternura de uma criança...
Sabedoria de um ancião...
Paciência de um pai...
Sorriso cativante...

Este meu caro, és meu belo amigo!

"A amizade é o perfume da vida!"

À ti meu amigo, o amigo dos poemas e das histórias!

À ti, meu belo amigo!



(Miguel de Paula)


*(texto adaptado e atualizado, 13 abril de 2010)*

Mentiras ou verdades?

Author: Miguel de Paula /



Amigo seu eu fui... Sim! eu fui! Conselhos, carinhos, tempo... Ah! O sagrado tempo que me dediquei a você! Tudo em vão! Você sempre vinha me consultar e eu com a maior paciência falava o que pensava mesmo sabendo que você não iria utilizar nada daquilo que eu havia dito! Como consegue fazer isso? Ingênuidade? Infantilidade?

Verdades ou mentiras me contou? Seriam ilusões de sua mente? Tantos fatos ocorreram, ouvi cada um deles! Mas lembra-se? História tem dois lados e em muitas você foi a atriz principal! Cortinas abertas você fazia seu espetáculo onde me hipnotizava a cada minuto, mas muitas vezes a sua verdade não era a mais plausível comparadas com as outras versões... Mesmo assim segui meu papel ignorando cada fala e observação a seu respeito!

Sou da minha forma! Sou o que sou pois nunca escondi o que pensei! Nunca omiti aquilo que me perguntaram e mesmo assim fui julgado! Julgado de forma injusta por sua pessoa por não concordar com suas idéias! O que eu deveria fazer? Verdades? Mentiras? Quem é você?

Verdade... Uma verdade se revelou... Minha mágoa que tomou conta daquele sentimento que vivo em mim tentei manter a seu respeito... Amor... Amizade! Mortos por mais uma apunhalada sua, dessa vez fatal! Uma simples manifestação em frente de outras pessoas! Sim! Me apunhalou de forma sem pensar! Passei mal... segui ao meu carro, e lágrimas escorreram! Você se tornou aquilo que tanto julgou e criticou onde aos poucos se transformou... Não notou? Uma pena! Você matou a última beleza que em você sobrevivia!

Sentado calmamente tentei equilibrar novamente a balança da vida, e percebi! Percebi que ali você não poderia ficar! Lembranças magníficas você esteve ao meu lado e sou eternamente grato por isso, mas daqui em diante perdoe-me, mas não há espaço para que você siga comigo! Sua carga já é grande demais para mim, não poderei consolar sentimentos feridos que não são meus!

Verdades ou mentiras o que sente por mim? Não sei! Não sei! Não sei!

Viva no seu mundo de fantasias! Julgue, critique, continue atuando! Pena que não percebe que estão se cansando e que seus espetáculos aos poucos se desgasta! Sempre as mesmas conversas sem conteúdo repetindo aquilo que ja fora dito! Por quê manter a memória daqueles que nos feriu? Sou incompreensível, ou fui o único que teve a coragem de lhe dizer sem piedade a pura verdade?

Será esse texto obra de uma raiva? Não! Agradeço a Deus por não guardar ressentimentos, mas posso lhe dizer que esse texto é a obra montada de seus ferimentos em meu coração! Atrás da figura séria e imbatível que sempre mantive, há um coração que você teve o acesso livre! Nele, você marcou grandes feridas com palavras e julgamentos pelo simples fato de não parar para interpretar minhas falas! Tornei-me o seu monstro no mundo de fantasias! Aquele que lhe dá patadas, aquele que a julga, aquele que só a critica!

Perdoe-me daqui em diante não haverá aquilo que sempre houve, não exixtirá aquilo que sempre existiu! Sou o seu mosntro e dele devo afastá-la...

Verdades ou mentiras? O que vivemos afinal?

Viva seu amor incompreensivel... mas garanto-lhe que niguém lhe dirá que tal amor é uma pura ilusão de um corãção doente que não enxerga o que deveria! Se estou errado que minha boca se cale com todas as palavras à você direcionadas!

Vivi, agradeço! Obrigado por ter sido belo até o último momento... Mas não posso permitir! Meu respeito sempre terá! Continuarei em meu cantinho e sei que aos poucos você perceberá que tudo estará mudado! Eu sei que você não é boba!

Não temo seu julgamento e talvez palavras que serão direcionadas a mim após a conclusão desse desabafo não me abalarão! Não temo a verdade, a minha verdade! Lavo as mãos nesse momento sem mágoas e ressentimentos! Verdadeiro e transparente é aquele que não teme a verdade explícita! Mentiras? Não sei, sabia? E você sabe?

Lembre-se! Seu espetáculo está ficando sem platéia! E sem platéia os atores e figurantes serão obrigados a fechar as cortinas! Refletores a você apontados estão se apagando! Degradante, Não?
Perdoe-me... Por lhe dizer a verdade! A minha verdade!

Assunto me tornarei e sei muito bem, e o que posso fazer? Agradecer-lhe!

O meu muito obrigado! Minha gratidão!

Só tenho a lhe dizer: "Foi bom enquanto durou!"

"Nessa vida colhemos o que semeamos!"




(Miguel de Paula)

Sábio poeta...

Author: Miguel de Paula /


Sentado estou, dizer o que se deve, sorrir conforme o mestre manda, sentir!!! Ah! Como é prazeroso! Trabalhar é necessário, então, ali estou, sentado novamente em frente de uma máquina, sorrindo!
Adiante de uma vida enfrento! Vivendo-a! Conheço-o! Sim! Conheço-o! Conheço em um mundo virtual onde somente fotos e palavras descritas por ele posso acreditar e fazer o que todo ser humano faz! Julgar! Conceituar! Concentro-me! Razão, raciocínio adiante! Atenção! Clico no mouse e ali estamos! Convite aceito começa a jornada!

Dias, alguns dias! Recados simpáticos e sábios são escritos... Hummm! Atento fico! O quê responder? Respondido! Ali se vai um texto!

Dias... Dias... Recado privado chega! Leio atento! Atendo fico, observo cada palavra ali escrita, eta mundo virtual, socidade paralela que nos permite conversar a distância! Observo e vejo "meu aniversário". Prazer! Processa a máquina, abre outra janela "Black and Mask!"! Ali me registro! Por quê não ir? Máscaras! Baile de máscaras? Será como nos carnavais Venezianos?

Procuro, procuro! "mãnhê! Onde está minha Capitano Veneza?"

Sexta, o grande dia... ancioso estou! Sigo, passo na casa do amigo que irá acompanhar, seguimos, a pé seguimos! Capitano Veneza em mãos sigo... coloco! Sigo! Ei! Já chegamos! Aqui estamos! Vamos? Fila! Paciência!

Aqui estou parado! Ah, ali vem um grupo mascarado! Ei, olhe!!! Faço um vista geral e poucos mascarados, continuo, adentro o local, ali recebo uma pulseira!

Sábio poeta, irei conhecê-lo!!! Sábio poeta, onde se encontra?

Andar superior, local de festa... adentro a multidão, desvio, pessoas de todos os tipos, mascarados ou não! Cheguei! Humm! Segurança! Mostro a pulseira e adentro sigo a escada que ali se encontra o grande espelho! Onde está?
Subindo ali estou, sozinho! meu amigo logo abaixo se encontra, vou adiante! Paro, observo! Por favor, onde se encontra o Sábio Poeta? O rapaz afirma: "Ali está!".

Sábio poeta, Sábio poeta! Aqui estou! Ocupado está, são presentes e felicitações! Parado, aguardo! Como seu sorriso é belo! Palavras, abraços, simpatia! Como é tão acolhedor!

Retiro a máscara você não reconhece! Sábio poeta, sou eu! Você lembrou? Nossa que abraço confortável!

Conversamos, nos conhecemos onde virtualmente palavras são trocadas! Sábio poeta! Sábio poeta... O quê dizer? Palavras tão belas escritas pelas mãos de um homem! Quando novamente iremos nos ver?

Dias, Dias... "Estarei ai nessa semana!"

Sábio poeta que boa notícia! Marcamos! Sigo no automóvel preto em direção ao desconhecido onde se encontra! Óh! Sábio poeta... estou seguindo... aparelho eletrônico indica onde chegar! Aqui estou! Abre o portão! Carinhosamente sou recebido! Escreves palavras tão belas! Como é bom revê-lo!

Sábio poeta... como meu mundo se tornou belo com suas palavras! Sábio poeta! Aqui estou! Palavras escritas do mundo virtual tornam-se palavras pronunciadas por lábios do mundo real! Inacreditável!!! Como gostos se batem, e palavras são compreendidas! Dedo de Deus?

Diamante raro parece ser! Sabedoria, Sabedoria de todas as formas! Sorriso, simpatia, beleza!!!

Encantado fiquei! Como dizer? Apenas sentir! Coinscidências? Tantas que pasmo admirei! Alegria e felicidade, duas palavras resumem! Noite! Doce noite, seguindo com seu ar refrescante, barulho de campo ouvimos! Sábio poeta, está tudo bem? Seguimos, e dentro do automóvel preto conversamos! Nossa, tão sábio e que meu respeito sempre terá!

Sábio poeta, quão belo é! Tão encantador não posso negar! Olhos negros atentos, desabafos e conselhos sábios! Obrigado! Obrigado! Pensar! Refletir, doces lábios dizem com o sorriso palavras confortantes e reflexivas! Admirado fico!

Sábio poeta, Sábio poeta... O misterioso dos sete pecados! O enigmático desafiador!

Sábio poeta da grande noite...

O eterno encantador sábio poeta...

Palavras que aqui resumem... Nome descrito está, pequeno enigma a você revelado saberá!

Sábio poeta! Alegria de viver com seu sorriso saberei! Luz do dia nunca o verei, pois na noite o conhecerei! Lanterna da emoção iluminando a escuridão da noite sabedoria será! Unânime sei! Mistério que somente a você revelado será se souber decifrar!



(Miguel de Paula)

Menino dos belos olhos...

Author: Miguel de Paula /


Campo Grande, MS., 16 de fevereiro de 2010.



De pé sobre o chão morno, olho à minha direita encontra-se a porta do meu quarto! Vamos! Em pé! Sigo, olho à esquera, a veneziana se debatendo entrando com o quente ar da cidade que chamo de lar. Sigo atentamente meio sonolento, a porta, ouço os cantares da manhã... Sigo adiante em direção a sala, passo, observo a cadeira de balanço sempre quieta a direita desde minha infância, a frente o grande armário, viro-me e a porta e sigo... sigo... sigo... o eco das escadas ecoam em meus ouvidos abro a porta... "Bom dia mãe!" sigo em direção ao buffet, sigo ao meu segundo quarto, sento-me em frente ao computador... Liga! Vamos! pego a escova de dentes e sigo ao banheiro, creme dental, escovo, escovo! Ai! Como é bom um belo banho gelado pela manhã! Sentir a água nas linhas de meu corpo caindo sobre o chão. Apoio a testa na parede e sinto a água cair sobre minha nuca descendo pelas costas, sono? já estou dispertando! ouço as panelas e o cheiro da comida de minha mãe!

Ao fundo, flui a cachoeira do conhecido Prosa, em cujas margens barrentas e a obra inacabada cresce todo tipo de vegetação. Minha família vive junta ao lado da cachoeira há alguns anos, acordando e dormindo com o doce som das águas batendo as rochas dos leitos.

No entanto, o ar quente e seco tem cheiro de mudança no dia. O menino dos belos olhos... sim! ele! O menino dos belos olhos...

Ó! Menino dos belos olhos! Perdoe meu esquecimento pois faço destas coisas... Não lembro se eles são castanhos ou negros. De qualquer forma, o que realmente importa, é que os seus são os olhos mais doces que eu já vi. Sim! Diga a todos pois estas são as palavras escritas à você! Limpo os velhos pensamentos e uma lembrança vem! Você em pé a minha frente com a doce Chandon em suas mãos enchendo minha taça... Sim! lembrasse? Sim, você lembra! Os belos olhos me zelando enquanto eu dormia! Menino dos belos olhos! Amor de uma amizade indescritível! A amizade pura e verdadeira, sempre acompanhada com os gostosos sorrisos! "Por você eu faria isso mil vezes!"

Cabelos aos ombros! Miii! Sim! A forma mais simples, porém a mais sincera que ja ouvi dos lábios de alguem! Você, menino dos belos olhos, o que me faz sorrir e esquecer os problemas pelo simples fato de estar ao meu lado!

O sol tem sido agradável. É por pessoas como você que ele continua a nascer!

Sigo adiante! Sigo! Sigo! Já de gravata e camisa sigo ao meu carro! Sigo, olho! atento! O trajeto de meu trabalho está longo hoje! Como assim? Sinais fechados! Trânsito pertubado! Chego! entro ao estacionamento onde leio "Estacionamento privativo para funcionários" sigo! Caminho após estacionar! tempo quente e diferente! Leio no Brasão pendurado... "República Federativa do Brasil" Sim! cheguei em segurança! Trabalho! Como todos os dias andentro e em minha direção dois homens fardados dizem "Boa tarde Senhor!" e meu balançar de cabeça confirma que tudo esta em ordem! Sigo o longo corredor adentro, a sala! Minha mesa! Cumprimentos as belas figuras femininas que ali trabalham comigo! Olho! observando! Começo o expediente! Decisões! Papéis! Histórias de vidas relatadas em petições e decisões de homens justos! Justiça! Faça Justiça! Decisões! Contestações! O quê há de errado hoje?

15h40min... Toca! O celular toca! Não posso atendê-lo, estou ocupado concentrado, espalho os papéis! Toca, Toca! Meu Deus o quê será que este celular toca tanto? Parou! Ouço somente os teclados dos computadores e o estrondante ar condicionado trabalhando! O Sistema encerra! São 16 horas! Vamos seguir para o carro! Leio na bina e vejo! O quê? A menina de cabelos negros! Completa vamos! Liga! Liga! na tela aparece: "Falha na conecxão!" Algo de errado! Sigo ao edifício amarelo as pressas! Corro! O velocímetro sobe! 40, 50, 60, 70, 80km/h Deus! Estou correndo em plena avenida! Chego! estaciono! Por favor! Apartamento 904! O porteiro se desloca até o interfone! Chama! "Por favor aguarde!" Diz o funcionário! Inquieto, ancioso estou! subo e desço as escadas! Recebo a notícia. A menina de cabelos negros acabará de sair! Ligo! Ligo! Desligo! Ela retorna a ligação! Pergunto: "O quê houve?" Voz de tristeza! Angustia paira sobre meu corpo! Começo a transpirar! O menino de belos olhos tentara tirar a própria vida! Ele? Ele? Você tem certeza? Como o menino dos olhos mais doces e emotivos que já conheci fizera isso? Aguardo! Chega! A menina de cabelos negros desce do carro e me confirma com um abraço! Entramos no edifío amarelo e lá discutimos! Decisão tomada, sigo a casa dos genitores, manobrando o carro faço o trajeto serpenteando entre os carros! Paro! Desço! Campainha toca! toca e nada se mexe! luzes apagadas!

Desisto! Apavorado e triste sigo para minha casa! Estaciono o carro! Chega! Miguel! Miguel! Respire! Pare de tremer! Desço! Corro imediatamente ao meu quarto! Quando começo a retirar a gravata o celular toca! Atendo e ouço: "Miguel!!!" Não conheço o número mas é você... Como pode menino dos belos olhos, como pode querer abandonar o maior presente de Deus? A vida! Olhos doces! Não imaginaria o mundo sem seus doces olhos! Os belos olhos fechados em um caixão... Começo a tremer, seguro as lágrimas enquanto ouço sua voz calmamente dizer a mim que tudo estava bem. Então decidimos juntos! Vou vê-lo! Me aguarde! Digo a ele... "Me aguarde! te espero lá fora!" Sigo a Clínica do qual me dissera que você estava. Menino dos belos olhos... Vou vê-lo! Lembraças não param de vir à minha cabeça! Na brisa sinto o sopro de Deus! Sigo... estaciono! Aqui estou! Quero vê-lo!

Ligo para sua família... Ouço: "Ele não pode receber visitas!" tento, sigo escondido pelos fundos e vejo um magnifico jardim! O jardim secreto! Como um jardim tão bonito está cercado com tais grades tão brutas? Observo! Forço a visão e vejo seguindo de cabeça baixa com um homem pelo jardim! Camisa vermelha, bermuda branca! Sim! Com os olhos doces desorientados caminhando em direção a um banco! Ó menino dos belos olhos, por quê você esta atrás dessa prisão? Deus! O quê faço? Ligo à menina de cabelos negros... Vou pular! Vou pular! Agarro-me na cerca azul com as belas primaveras tentando adentrar no jardim! Menino dos belos olhos! Vou leva-lo!

O quê passou em sua mente? Menino dos belos olhos... Aprisionado em um jardim! Desisto! A exautão toma conta! Sento-me no meio fio! Levanto-me, continuo observando-o, enquanto isso lágrimas descem em minha face! Camisa rasgada, sapatos marcados, gravata torta! Percebi... Percebi que todos os fatos não se passavam de presságios! Sim! O menino dos belos olhos ali estava, aprisionado atrás de grades e nada podia fazer!

Se eu fosse um Deus, mas não sou! Compraria todas as estrelas e o mundo a você menino dos belos olhos! Somente para sentir seu abraço novamente! Menino dos belos olhos! Salvou-me de mim mesmo! Apoiou-me! Os doces olhos só me diziam: "Estou com você!"

Obrigado! Viver, meu amado e eterno Menino dos belos olhos é a maior dádiva!
O quê seria de mim se seus doces olhos fechacem naquele momento que cometera o erro?
O quê seria do ser inoscente que lhe chama de pai?
O quê seria desse mundo?

Menino dos belos olhos...

Espero que você não se importe, espero que não se importe!
Que eu expresse em palavras... quão maravilhosa a vida é, enquanto você está no mundo. Menino dos belos olhos...
Perdoe meu esquecimento pois faço destas coisas... Não lembro se eles são castanhos ou negros... de qualquer forma, o que realmente importa...

É que os seus são os olhos mais doces que eu já vi...

É que os seus são os olhos mais doces que eu já vi...

"Amigos são a família que a vida nos permitiu escolher."

À você...

Menino dos belos olhos!




(Miguel de Paula)

Viver... um pouco de mim...

Author: Miguel de Paula /




Amanheceu! Aqui estou vendo o sol! Os pássaros cantam, sinto a brisa, o jardim com gotas de orvalho, decidi! pensei! refleti! O por quê não públicar meu livro secreto onde relatei minha vida por anos? Medo? Angustia? Sempre ouvi: "ele é um mundo de mistério, por trás daquele menino há muito a dizer!" O que será que muitos gostariam de saber sobre mim? Sou isso.. sou aquele que menos esperão! Sou o entitulado engimático, abrir o livro das verdades, meus segredos, minha vida, amor, paixões, emoções, angústias e medos? exposição? talvez! Descrevo em enigmáticos textos aquilo que sou e aquilo que convivi! Sabedoria? quem sabe!? Afinal, quem sou?

A cada dia e momento que se passa, deixamos de ver as pequenas coisas que nos rodeiam, sejam elas consideradas inúteis ou não! Vida! qual seu conceito? Viver é a emoção, poder compartilhar com o próximo o carinho e o sentimento mais belo, o amor! E qual a vantagem de viver? Este é o mistério da vida do qual nos deparamos e jamais conseguiremos decifrar... viver com sabedoria e ser sábio é aquele que consegue conviver em harmonia com as diferenças, sempre sorrindo para os problemas, sem desprezar cada ser humano, pois o sábio sempre saberá que se descartar um ser, poderá dispensar o mais belo diamante!

Por isso.. viva.. viver é uma dádiva... cheio de altos e baixos, sim sei, destinos? talvez! aquele que sente sabe, aquele que olhar nos olhos puros saberão...

Sou o que sou.. sou o meu viver...



(Miguel de Paula)