Google+ Followers

Siga-me! Cadastre seu e-mail...

Afinal, o que me tornei?

Author: Miguel de Paula /





Pois bem, já são 01h56min da manhã, dia 25 de agosto de 2010... Resolvi escrever...


Após muito refletir, percebi no horizonte o por do sol onde me encantei e pensei "Fico sempre ocupado e como perco as obras de arte de Deus!" Fotografei e guardei a imagem como se fosse ouro pois essa imagem eternizada em minha mente me confortou de um momento de angustia...

Acordei pela manhã e notei como as pessoas dão valor para as "coisas" que não fazem a diferença, observei atentamente cada comportamento único de cada ser que se passou ao meu lado, e notei como somos diferentes... Muito diferentes! Já foi pego de surpresa com esses pensamentos? Pois bem, eu já! Muitas vezes!

Sentado fiquei, e muitas coisas na mente se passou, momentos, reflexões, casos, e princípios... Afinal, o que me tornei?

Pensei a respeito, e somente agora me veio novamente em mente, conversando com amigos notei que deveria voltar a postar e escrever no blog sem medo algum. Omiti muitas coisas, decisões precitadas, momentos da vida das quais resolvi me calar... Afinal, o que me tornei? Será que existe alguém capaz de me responder?

Viagens, Veuve Cliquot, roupas, jóias... Vida que muitos gostariam de ter, e o meu vazio como fica? Seria uma futilidade sem tamanha vergonha ou uma esnobe classe? Por que tanto julgado eu fui? Quer saber, quem sou?

Questionamentos, questionamentos... Ruim ou bom você criar uma auto-crítica de si? Arrancar suas máscaras e estuprar os sentimentos estranhos em suas entranhas? Esquisito, não?

Tão crítico me tornei que até com medo fiquei! Ironia e Sarcasmo tanto amei que logo um idiota me criei, e quem seria eu para tais julgamentos? Nossa, que estranho eu fiquei! Seria eu Miranda Pristley ou Hugo Gloss? Tanta definições evitei e conceituado eu fui...

Afinal, pelo amor de Deus, que ser eu me tornei?

Amei, apaixonei e gostei realmente de quem jogou intensamente com meus sentimentos... Hoje, eu pensei e refiz decisões que mudarão eu sei o rumo de muitos fatos em minha vida! Sumidas eu dei, fugas efetuei... Pisei no freio, está na hora de jogar algumas coisas fora! Perdão finalmente aprendi a pedir, consertar estou aprendendo a reparar os danos que causei! Mas, será que sou capaz de me perdoar?

Nossa, quantos pensamentos estranhos... Afinal, o que me tornei?

Pelo amor de Deus, será estranho refletir no que estou pensando? Cair na tentação, me jogar aos braços da luxúria, afinal, o que tenho a perder, não? Sentir os lábios, morder o pescoço, sentir um corpo ao meu, seria errado?

Afinal, Será errado consumar o ato sem amar? O que me tornei? Deixar muitos pensamentos aprisionados me tornarão um louco?

Deixar de olhar a pessoa que tanto me encantou de forma tão "carinhosa" é deixar de gostar? Sinceramente eu não sei! Bizarro esse questionamento ao meu ver!

Ai que vontade de me jogar ao mundo... Afinal, o que me tornei? Por que não me dizem quem sou?

Tanto julguei e realmente aprendi hoje que o justo não é belo, as vezes o justo pode parecer o injusto, contudo é o mais correto! Belas figuras podem ser venenosas! Cuidado! Afinal, o que me tornei? Belo ou fraco? Fútil ou prestativo? Quer saber? Foda-se! Precisava de uma dessas!

Então, "estupre" seus sentimentos, grite, cair na tentação eu farei? Talvez!

Vamos ver o resultado...


(Miguel de Paula)

Só você...

Author: Miguel de Paula /




Quem diria poder tocar…

Quem diria poder olhar nos seus olhos….

Quem diria nos darmos tão bem…

Quem diria compreender…

Quem diria… Quem diria… Quem diria…

Pouco tempo… Tanta coisa!

Tocar e sentir nas estrelas! Poder olhar nos olhos e expressar…

Como é bom! Como é bom!

Andar contigo sobre a brisa do anunciar da noite… Os lábios de mel tocando aos meus!

O calor do seu corpo abraçando o meu de forma sincera, sentir sua mão tocando a minha….

Só você é capaz, só você! Só você sabe decifrar os enigmas pois como dito foi “Liberdade é uma conquista, onde somente com o verdadeiro sentimento terás”

À você…



(Miguel de Paula)