Google+ Followers

Siga-me! Cadastre seu e-mail...

Desencanto

Author: Miguel de Paula /




Aprendi com muita dor e sofrimento! Adquiri certo conhecimento com o passar dos anos que somente o tempo é capaz de curar todas as feridas, enterrar decepções e extinguir a raiva, que se é com um dia ruim após o outro que superamos dores e obstáculos... Hoje, li no blog da Jakutinga algo que muito tenho pensado, mexeu muito comigo e desde então fiquei na reflexão... Então compartilho-o com vocês...


"Deixarei que morra em mim...

a saudade dos teus olhos,
o apego ao teu sorriso,
a vontade da tua boca,
o vício da tua pele.

Deixarei que morra em mim...

para cessar meu pranto,
todo o encanto."


(Giu) (Blog JAKUTINGA: http://jakutinga.blogspot.com/2011/09/desencanto.html)

Novos passos... Novas palavras... Novo sentimento...

Author: Miguel de Paula /




Campo Grande, MS., 24 de julho de 2011.


Devo confessar, depois de postar e escrever em meu diário muitas tristezas meus amigos, acho que minhas palavras mudarão muito nos dias que estão por vir!

Hoje fui questionado se estava amando novamente, e então perguntei: "Por quê pergunta?" e a pessoa respondeu: "De uns tempos para cá, embora tenha passado por momentos difíceis, seus olhos brilham, e sua forma de ser está mais sereno!" Com um sorriso eu respondi aquilo que me foi perguntado! Então ouvi: "Eu sabia! Você está amando!"

Alguns leitores e amigos me questionaram porque estava escrevendo tantas tristezas e melancolias em meu Blog, e minha resposta era sempre a mesma: "Estou sendo eu mesmo e passando o que sinto nesse momento!"

Sabe, é tão incrível como tudo na vida é tão maravilhoso, observei as nuvens, desenhadas, em suas formas tão desiguais que ali encontra-se escondida a perfeição dos dedos de Deus! Refleti, percebi que sempre após tempestades desastrosas que achamos que iremos agonizar e cair vem o céu limpo e belo anunciando que tudo estará bem, que aquele momento foi necessário! Pois bem, passei por tempestades, momentos de angústias e agonias que pensei que não levantaria, até olhar nos olhos daquele que hoje me diz: "Eu te amo!"

Sim, meus amigos, eu estou amando, estou sorrindo, estou derrubando lágrimas de felicidade, espero que daqui pra frente muitas coisas mudarão, dentre elas meus textos, minhas palavras... Tudo se evoluiu para uma nova etapa que estou disposto a construir!

Sim, meus queridos, este foi um simples desabafo de felicidade que precisava compartilhar a todos de forma simples que tudo nessa vida se alcança, basta querer e lutar pelos seus sonhos!

Aqui ficam registradas minhas singelas palavras da minha felicidade com minhas promessas de textos e palavras mais belas a todos aqueles que diretamente e indiretamente me acompanham e fazem parte da minha vida!

Tudo se resume nessas belas palavras...

"Se um dia você pudesse ver através dos meus olhos a beleza
E a felicidade que eu vejo em você
Quando eu vejo os seus olhos
A vida que eu sonho pode se tornar realidade
Ou é apenas um sonho?
Você está perto?

Se um dia você pudesse ver com o meu coração a saudade
Então saberia exatamente como me sinto
Quando eu sinto seu coração
E quando eu bebo você em meus braços
E respiro você com a minha alma
Nós somos um
Lembre-se

Se um dia você pudesse ver com a minha alma o futuro
O tempo ficaria parado, e depois desapareceria
Isso é tudo que eu peço
Assim como um filme que desaparece da vista
Meu paraíso é você
Então eu sonho
Lembre-se"

Lembre-se meu grande amor, à você devo essa felicidade... Você é meu paraíso!


Beijos amplexos à todos...



(Miguel de Paula)


Texto em destaque: Tradução: (Remember/ Monica Mancini/ Cinema Paradiso Theme)

Patrulheiro Herói das Estradas...

Author: Miguel de Paula /





Ouvir teu caminhar com os princípios aos passos da lei sempre me encantaram...
Sirenes ligadas, motos potentes, viaturas azuis, levam segurança e a justiça às estradas era tua missão meu amigo!

Seriedade e caráter sou testemunha! Amigo de tua mãe eu sou! À Dama de Cabelos longos sou eternamente fiel! Tua luta e tua honra sempre serão lembradas através de mim!

Ó grande amigo, o grande cavalheiro das estradas que com convívio admirei como és um homem de postura, um caráter e conduta impecável!

Ao teu lado estive quando tua mãe fechou os olhos para ir ao braços de Deus! Pela primeira vez vi o cavalheiro, Patrulheiro Herói encher os olhos de lágrimas! Sim meu amigo, ela se foi... Tú és um irmão!

Tuas paixões por motos e velocidade sempre nos contagiaram ao ver em teus olhos a felicidade de estar sobre as duas rodas em uma rodovia! Como era belo ver um guerreiro sobre teu cavalo motorizado! Os motores rugiam e sim, tú sabias como ninguém dominar as duas rodas!

Tua paixão pela corporação era clara! Defendia com honra, protegia as estradas para manter a segurança das pessoas de bem!

Pouco tempo se passou após a perda de tua mãe... Casou! Acompanhei o sorriso tímido, contudo, sincero e feliz onde jamais esquecerei! Tú estas feliz e isso me faz feliz!

Casado não perdestes a paixão pelas motos e o amor pela corporação! Tú encantas meu amigo!

Na noite de um sábado ouço meu nome, sim, era teu melhor amigo a chorar... Com palavras engasgadas e sem forma a dizer veio me comunicar que tú estavas morto! Não acreditei!

Como pode o Patrulheiro Herói cair de teu cavalo motorizado? Algo de errado havia nesta história!

Procurei me informar nas notícias via internet e lá constatei: "Policial Rodoviário morre em acidente automobilístico"! Ao meu lado pasmo encontra-se o Príncipe da Paz que tenta me confortar com palavras agradáveis! Tento não demonstrar, mas meu mundo mais uma vez abalou!

Horas se passaram, ao lado do Príncipe da Paz mantenho minha tranquilidade aguardando um simples telefonema para teu velório e lá me despedir!

Sabes, a revolta és tão grande que não consigo segurar as lágrimas ao deixar a casa do Príncipe da Paz...

Sigo, sigo, sigo e a noite parece não passar! Ao amanhecer recebo o telefonema onde encontras teu corpo sendo velado!

Adentro a capela e não reconheço teu rosto completamente reconstruído e venho a desmoronar em lágrimas ao abraçar tua viúva tão nova que ali zela tua urna!

Abraço em lágrimas a escudeira de tua mãe que me dá forças! Estaremos sempre contigo grande Patrulheiro! Tua morte não será em vão, justiça em teu nome será feita, àqueles causadores de tua morte que fugiram covardemente responderão! Nosso Patrulheiro Herói!!!

Os grandes cavalos brancos motorizados com os Patrulheiros prestam suas últimas homenagens escoltando teu caixão onde descansará teu corpo no silêncio do sono eterno! A Bandeira dos honrosos Patrulheiros Heróis cobre teu caixão com as honrarias merecidas! És um dia de luto!

Lembranças... Meu Patrulheiro Herói, nosso amado Cavalheiro das Estradas... Descanse em paz! Zele, honre, proteja... Sirva a partir de hoje a tua missão! Sirva aos exércitos de Deus!

Saudades ficarão, mas sei que ao olhar aos céus verei o motor de teu cavalo motorizado rugir para proteger os caminhos de Deus e teu sorriso ao dizer: "Aqui estou eu!"

Aqui fica a minha homenagem...

Patrulheiro Herói das Estradas... Christiano Haddad Camolesi!


À

Alice Pereira Camolesi
Christiano Haddad Camolesi
"in memoriam"



(Miguel de Paula)



(http://www.correiodoestado.com.br/noticias/policial-rodoviario-morre-em-acidente-automobilistico-na-cap_114900/)

Chama de um passado...

Author: Miguel de Paula /




Quem diria que por um simples olhar um passado retornaria...

Há oito anos um grande amor foi apagado de forma trágica! O brilho de seus olhos não pude mais admirar!

Saber que seus olhos estariam fechados, sua boca calada por um silêncio que me incomodaria eternamente fizeram-me sucumbir!

Observá-lo em um caixão mogno, adornado com belos leões dourados, eu sabia que ali perante a todos estava morto um pedaço de mim! Recebia abraços e palavras que supostamente iriam me confortar todo momento, mas nada fez com que meus olhos deixassem de zelar sua urna que ali se encontrava lacrada preservando seu corpo até o momento da despedida!

Sinto cheiro de rosas! Como é delicioso! Como pode acontecer?

O rosário em minhas mãos entrelaçado encontra-se! A aliança do nosso amor aperta em meu dedo e não consigo conter as lágrimas de uma dor agonizante de um coração que sangra por enterrar seu sentimento mais precioso!

Nesse momento tão sofrido ajoelho-me e juro que essa bela chama que um dia foi acesa por você jamais seria apagada... Decidi trancá-la a sete chaves dentro de meu coração de forma que ninguém teria acesso!

Oito longos anos se passaram e um olhar singelo com um sorriso tímido fizera com que meus olhos se fechassem e o coração se abrisse! Sim, o portão do conhecido coração de gelo estava vulnerável...

Me permiti que o desconhecido que nunca vira em minha vida adentrasse no coração de gelo e reascendesse todas as lanternas que ali se encontram! Sim! Uma a uma, noite após noite, cada lanterna estava sendo acesa, chama por chama!

Notei que algo que a muito tempo não sentia estava prestes a se revelar! O gelo começou a trincar e com ele a hemorragia que ali fora estancada começara a vazar! Por trás de tantas lanternas que na escuridão se encontrava o desconhecido chegou a porta que jamais deveria descobrir!

Não! Não! Não! Não pode ser tão semelhante...

A porta se abriu e a chama que pequenina se encontrava se inflamou, tomando proporções que em breve sairia do meu controle! Seria bom deixa-la viver e o coração bater mais forte?

O coração esquentou e o gelo se foi, inseguro fiquei e minha segurança abalei! Deus, e agora? Não sei viver assim! A razão entrou em colapso e a muralha da qual construí ficou exposta! Desespero tomou conta! Socorro!

O que deixei fazer? Paixão, Ternura, Esperança, o que vocês fazem? Sentimentos esses que trancados eu deixei e neles não confiarei! Meus olhos abrem, tento colocar tudo no controle mas parece uma guerra sem fim! Lembranças retornaram como se tivesse vindo as pressas contra a corrente! Além do mar de minhas ilusões você está! Como daria tudo para olhar nos seus olhos mais uma vez!

Confesso, com medo fiquei! Vai saber se o mar de minhas ilusões terá razão!

A chama toma conta e vira um grande incêndio! Tarde demais! O desconhecido sem saber se espanta e parte deixando somente o rastro das lembranças que reascendeu!

Você não se passa de lembranças que um dia existiu! Sua luz esta sem par! Não seja cruel! Você irá nos sucumbir e nos condenar a morte! Pequena chama, grande Amor! Retorne no seu aposento por favor! Se a muralha cair morreremos e o pequeno mundo que conhece irá se desfazer como poeira ao vento! Você é um passado capaz de me incendiar, mas incapaz de sobreviver mundo afora! Não julgue o desconhecido! Não se passa de um semelhante!

Vejo seu sorriso depois de oito anos revivido em lembranças! Por favor! Retorne!

A agonia toma conta e as dores do passado retornam, não consigo controlar! Menino dos belos olhos, você está ai? Proteja-me de mim mesmo!

Ó, Menino dos belos olhos, você está sorrindo! Sabia que você viria ajudar a lutar contra esse passado que me assombra! Ajuda-me na batalha?

O incêndio é controlado, e com a sinceridade do desconhecido ele é apagado! Menino dos belos olhos a você confio para trancar o portão do coração que está prestes a desmoronar! Enquanto luto, por favor tranca-o!

O desconhecido já revelou seu verdadeiro eu! Meus olhos se abriram e a chama eles zelarão! O portão está trancado e as lanternas estão se apagando! Tudo está voltando a ser como antes! Fique calma Pequena chama!

Pequena chama, grande Amor... Não tenha medo! Ninguém irá apagá-la ou tomar seu coração! Não precisa inflamar, mas precisa saber que és um amor antigo que comigo morrerá! Uma luz sem par que irá viver comigo enquanto minha vida durar!

Saiba pequena chama, doce lembrança... No mar das minhas ilusões você estará tranqüila...

Pequena chama... Lembre-se...

"Se eu bailar no meu batel
Não vou ao mar cruel
E nem lhe digo aonde eu fui cantar
Sorrir, bailar, viver, sonhar contigo".

Pequena chama, grande Amor!

Este sou eu! Este é você! Um só ser! Um só coração...




(Miguel de Paula)

Miranda Priestley...

Author: Miguel de Paula /




Campo Grande, MS., 15 de agosto de 2003.


Mais um dia! Prazeroso não é mesmo? Dia de felicidade! Hoje, completo mais um ano de minha vida! Nossa! já estou no ano de 2003. Completando meus 15 anos de idade! Como o tempo passa rápido não é mesmo? Quando menos esperamos estamos velhos e rabujentos!
Caminhando no centro de consumistas, Shopping? quem não conhece? Ouço uma música ao fundo...

Strike a pose
Strike a pose
Vogue, vogue, vogue
Vogue, vogue, vogue

Look around everywhere you turn is heartache
It's everywhere that you go [look around]
You try everything you can to escape
The pain of life that you know

[...]

Sempre com a educação que tive, mantenho o caminho cantarolando aos susurros, postura, educação, olhar seco... Olhar adiante, virar o pescoço e olhar cortes em tecido... Paro, atentamente olho, observo, pessoas comentam meu estilo! Biquinho de lado, jeito antipático! Engraçado, não é mesmo? Então escuto sussurros: "Ele deve ser gay!" Incrível, não é de me estranhar que tais comentários estão tão familiarizados comigo que nem me espanto!

O engraçado é notar que muitos "homens" ao se depararem comigo soltam sorrisinhos, alguns, me passam pequenos papéis embolados com seus números de celulares e outros se escondem atrás das araras das lojas e me surpreendem mais tarde! Como são engraçados! Mas enfim, o engraçado realmente é fazer-me de bobo para deixar que tirem suas conclusões e ver suas mães e mulheres na dúvida ao comentarem quem sou "uma graça", "um gatinho" ou "o menino dos meus sonhos". Mal sabem elas que o príncipe do cavalo branco, fino, educado, cheiroso e perfeito dos sonhos delas, não se passa de uma biba! Resumindo... Um gay! Coitadas, vão sonhando!

Pois bem, hoje, é meu aniversário, e estou prestes a encontrar meus amigos dentro de alguns minutos! Adentro à minha querida Prosa, livraria tradicional daqui do shopping, para tomar meu famoso capuccino das 17 horas! Interessante quando nos tornamos clientes "da casa", sem que eu peça o garçom me serve o capuccino com creme sem muita espuma, e me diz: "do jeito que o senhor gosta!" Como eu adoro essa atenção!

Sentado estou, e lá vem ele com o sorriso paquerando todos os vendedores, como se não bastava mandando beijinhos! Claro, quem poderia ser? Gustavo Alcântara, um gracioso ser com apenas 17 anos e seus 1,90 de altura! Discreto, não?

Enfim, turma chegando e eu me alegrando, todos se sentam e me parabenizam e dizem que há uma grande novidade, fico curioso, afinal, o que seria?

Os três me entregam um embrulho com o livro "O Diabo Veste Prada" o livro que leio diariamente, e dizem em voz alta: "Miranda Priestley... Meus parabéns!" Fico agradecido mas não compreendo essa da Miranda! Logo chega os outros que também me chamam de Miranda! Começam a rir e logo me explicam que este seria meu novo apelido! Fico surpreso!

Questiono-me o porque de tal apelido!? Todos ficam rindo e dizem que eu deveria ver meus jeitos e trejeitos, biquinhos, sarcasmo, arrogância, finez, autoritário, cheio de puxa sacos e que vive dentro de uma agência de moda! No fundo fiquei magoado ao saber que meus amigos me viam assim, mas ao mesmo tempo notei que não se passava da verdade nua e crua e que por mais que eu tentasse mudar, não estaria sendo eu mesmo!

Miranda, Miranda, Miranda... Será que mereço tal apelido? Nasceu em um momento de risadas entre amigos onde me consagraram como o "Senhor de Titânio", seria algo positivo ou negativo? Não sei...

Risos, "Strike a pose!" Sim, esse sou eu! Nasce então meu apelido, será que irá durar por longos tempos?

Meu jeito não irei mudar, isso tenho absoluta certeza, é minha forma de ser, amo moda, desfiles, bailes, beleza, faço biquinhos, caras e bocas desde pequeno e realmente sou vaidoso, porém azarado no amor! Nasce Miranda Priestley...

Miranda Priestley para quem não sabe é uma personagem do bestseller de Lauren Weisberger onde tem seu jeito de ser que poucos compreendem, considerada uma megera do mundo da moda obcecada pelo trabalho, idolatrada por muitos e odiada também. haha!

Acho que me caiu bem...

Miranda Priestley, será que cola? Vou na balada hoje, como será a adaptação ao meu novo apelido?

Vamos ver não é mesmo?

Hey... Guto.. Come on!!!






(Eu tinha apenas 15 anos nesta época, claro que algumas coisas do texto não farão sentido, pois resolvi censurar e omitir algumas coisas que eu aprontava, afinal este é um texto que estava em meu diário pessoal! Haha!
Atualmente estou com 22 anos e certos questionamentos feitos na época só obtiveram respostas no ano de 2006 com o lançamento do filme "O Diabo Veste Prada" que por sinal Miranda foi interpretado pela minha atriz predileta Meryl Streep, e desde então meu apelido foi consagrado na balada e entre os mais próximos como Miranda Priestley que dura até hoje. Recentemente, tenho mais dois apelidos que complementam minha descrição, que me fazem rir muito! Com o tempo escreverei, espero que gostem!)

Beijos e abraços bem fortes para quem merece!

=***

(Miguel de Paula)