Google+ Followers

Siga-me! Cadastre seu e-mail...

Morte de um sorriso!

Author: Miguel de Paula / Marcadores: , , , , , , , , ,

Campo Grande, MS., 02 de Janeiro de 2017.




Queria eu voltar a ser um menino que de Lego brincava!

Queria eu poder sorrir novamente com coisas singelas e sem muito valor!

Queria poder tocar em um amigo sem o julgamento malicioso de outros!

Queria poder sorrir sem saber o quanto um amor pode machucar!

Queria eu poder sorrir novamente de forma sincera sem os outros ferir!

Queria eu poder sentir seu abraço sem poder uma palavra argumentar!

Ah, como é doloroso, poder sentir um amor tão majestoso difícil de no peito guardar, poder dividi-lo em ternuras para não envenenar! 

Eu amei demais e por isso sei o que expressar! É complicado quando da confiança zelar e de maneira tão estupida perde-la! Seria isso realmente uma imaturidade sua?

Imaturidade de ao ponto jogar aos ventos o que aos poucos construímos? Dói, dói, dói! Ah, como dói! Amar e ter que dispensar talvez o ultimo suspiro de inocência que há em meu peito pela confiança dissipar por um ato impensado seu! Não é castigo, isso é dor de ver um sorriso de amor se estilhaçar e meu coração não saber superar o que olhos mostraram e sua boca no silencio se calar!

Só eu sei a dor que sinto, por saber que meu inocente sorriso deixou de existir pela decepção do que vi,
 sua falta de reação em expressar poucas palavras para que aquecesse um coração desesperado por saber que ali sucumbia um sentimento tomado pelo ódio!

Você mede as consequências de um ato impensado e o peso da responsabilidade de carregar uma confiança? Se soubesse o valor de um amor, de uma confiança, de uma sinceridade, talvez saberia as consequências de seus atos embora aos seus olhos sejam pequenos, trouxeram uma destruição sem fim!

Hoje eu confirmei ao reparar que o semblante mudou e que o sorriso estilhaçou!
Queria eu retornar a ser um inocente menino para os braços de minha mãe correr e me proteger!

Ah, pobre sorriso que deixo no caminho após alguns anos mantido por um amor que não sabe suas responsabilidades!

Espero eu, que o Tempo, companheiro de longa data ajude reconstruir um eu mais forte para novamente sorrisos estampar e pessoas alegrar!

(Miguel de Paula)


Lapidação...

Author: Miguel de Paula / Marcadores: , , ,


Campo Grande/MS., 04 de abril de 2015.



Depois de muito lutar e tentar lapidar o meu eu veio a se desgastar! Minha energia foi consumida por um esforço que veio a me destroçar! Caminho devagar tentando colher pequenos pedaços de sentimentos para preencher um vazio que diversas vezes tentei ocupar mas de certa forma se perde na solidão!

Palavras são a única expressão que consigo esboçar de emoções que não consigo continuar a manter em tamanha intensidade! Sou algo heterogêneo que se perde dentro de seus próprios pensamentos em um mundo próprio que não consegue ser dividido! 

Será que tudo isso é para explicar o que é amar?
Não sei de fato o que ocorreu pois ainda tento encontrar respostas que só o tempo pode desvendar! Espero que das minhas escolhas eu esteja fazendo o certo!


(Miguel de Paula)

Diferentes, porém iguais...

Author: Miguel de Paula / Marcadores: , , , ,




Passou algum tempo e não publiquei...

Campo Grande/MS., 27 de setembro de 2012.


Pego-me pensando diariamente...
Pensamentos estes, o qual não consigo ignorar...
Passam dias, horas, minutos e segundos e cada momento com você, torna-se único e inesquecível...
Como o tocar de um piano, em acordes sincronizados, são capazes de se transformar em melodias que tocadas são capazes de atingir a alma!
Ah, como é gostoso, esse jogo de palavras para tentar decifrar e definir o que sinto, porém, esta é uma missão do qual torna-se impossível pela sua complexidade e grandiosidade!

Somos tão diferentes, educação, vivencia, experiências, isso só se resume em amor!

O voo da Fênix...

Author: Miguel de Paula / Marcadores: , , , ,



Campo Grande/MS., 21 de fevereiro de 2013.


Entre linhas, em meio as palavras tento expressar...
Expressar muito de algo de um voo que pretendo alçar...
Ah, como é difícil bater as asas contra ao vento...

Você bate as asas o máximo que pode e nota que voa em círculos, perdendo-se entre seus sentimentos, frustrações e sonhos... Pergunto-me diariamente quais são minhas metas e quais sonhos devo seguir, mas convicto estou que minhas palavras jamais vão se calar!

Sabe, é tão estranho quando você encontra em meio a solidão ou em uma pequena tristeza formas e palavras para expressar! Nelas há um conforto tamanho que mal consegue desvincular um sonho de uma realidade! Assim quando se ama, sempre saberá que após o abraço apertado virá o intenso beijo!

Gosto de liberdade, voos altos e longos...
Não gosto de prisão e céu nublado, sempre consegui entre linhas manter minha sanidade...
Sanidade essa que tenho notado abalar diante da loucura que tenta de uma certa maneira me conquistar!

Será que tal loucura não seria a realidade batendo em minha porta?

Não me prenda...
Não costumo responder bem à arreios, jaulas, confinamentos e iscas!
Na mesma forma que meu voo é alto, a queda será grande se nas angustias da prisão no tombo irei sucumbir!

Pago um valor caro por enfrentar e ter a "liberdade"...
Liberdade essa maior que minhas asas podem voar!

Assim como uma fênix, atravesso o fogo e renasço das cinzas, não me adapto tão fácil, pode ter certeza!
Revivo a cada apunhalada, a cada queda, mas não sou tão fácil quanto pareço!
Gosto dos caminhos mais complexos...

Caminho sobre o ar...
Na noite enluarada as pessoas abaixo ficam boquiabertas ao ver meu caminho...
Pegas de surpresa percebem o quão indomável sou!

Olhe o mundo a sua volta...
Nos vilarejos entres as árvores, notará que enquanto as pessoas dormem, eu sigo serpenteando entre as montanhas não deixando meus rastros!

Vamos dançar entre as estrelas e caminhar sobre o ar?
Não me domine, me acompanhe...
Segure apertado se está disposto a voar alto comigo no doce azul da meia noite...
Voar sobre o oceano profundo onde dorme silenciosamente o monstro poderoso em seu sono!

Foi-se o passado...

Venha, já está na hora de alçarmos o voo!



(Miguel de Paula)

Angústias...

Author: Miguel de Paula / Marcadores: , , ,



Campo Grande/MS., 21 de fevereiro de 2013. 

Ah, cá entre nós... Sentado, pensando, orando...
Em um pequeno mundo, assim como as lindas histórias do Pequeno Príncipe, construí estruturas da qual somente eu pude arquitetar!

Serpentear entre palavras são entre minhas pequenas maneiras de desabafar, escrevo, revejo...


Alguns fatos simplesmente acontecem e por mais que parecem mentiras absurdas, podem ser a mais plena realidade, há horas que você deve parar e rever se seus princípios realmente valem a pena e se a luta desgastante deve ser levada a sério!


Você, luta, exige e tenta dentre todas as suas falhas ser o mais correto e o mais perfeito possível e mesmo assim é colocado à prova o que faz com que você chega a se questionar de suas qualidades, suas maneiras e suas convicções!


Angústias, pensamentos, temores, tomam conta de mim de forma descontrolada do qual o desespero predomina... Medo? Ah sim, meu caro amigo! Medo talvez de perder o meu único e valioso tesouro, pelo simples fato de um crime do qual não cometi...


Amar é pecado? Pois se tal sentimento for considerado um pecado, eu sou o maior dos pecadores, principalmente por viver em um mundo de sonhos onde minha solidão já não é bem vinda, onde pássaros cantam, andorinhas voam e as folhas da pura árvore são lançadas ao vento...


Muitos com certeza irão questionar o que se passa, o que está acontecendo, mas isso meu caro amigo, só meu coração e àquele pertence saberá ler os enigmas que a ele pertence!


Dores de angústias hoje tanto senti que mal consigo ainda me recompor do desespero que me tomou!


Ah, perdoe-me, mas todas as perdidas e rasas palavras é um é um pequeno desabafo de uma pequena angústia em nome daquilo que luto!



(Miguel de Paula)