Google+ Followers

Siga-me! Cadastre seu e-mail...

Adeus...

Author: Miguel de Paula /




Desacreditei que um dia poderia tê-lo... Ter de uma maneira sincera, de maneira que ambos não se matariam...

Sim meus amigos, desacreditei naquele que já me fizera bem e mal...

Perdoe-me, mas preciso prosseguir! Forte é aquele de consegue e tem a capacidade de enfrentar os outros, mas somente é poderoso aquele que consegue enfrentar a si mesmo!

Eu, estou disposto a dilacerar meu coração e enfrentar meus próprios sentimentos e angustias, pois somente aquele que se conhece será iluminado!

Digo Adeus a você! Puro e dolorido sentimento, não posso tê-lo em meu coração! Sim! Sorrisos você já me deu, mas muitas lágrimas você me fez derramar! Muitas, muitas, muitas! Você é cego, tolo e imaturo, como pudera fazer isso comigo?

Destruiu sonhos, angustiou minha alma, infelicidades me trouxe!

Já passei por decisões complicadas e segui caminhos impossíveis, mas jamais achei que um dia aquele que confortei e tive dentro de meu coração, tentaria me "matar" pouco a pouco...

Mas, você tolo sentimento, esquecera que meu coração é forte, que está cercado pela muralha da esperança e defendido pela espada da felicidade que você tanto atacou! Vencera muitas batalhas, mas eu, consegui vencer muito mais!

Hoje, eu lhe dou Adeus!

Abri as portas e lhe coloco jogado ao vento! Pretendo não encontra-lo novamente! Preciso prosseguir minha jornada nesse caminho! O tempo é curto e a vida não nos espera! Fique! Não o quero! Não o desejo mais!

Você! Sim você AMOR! Não é mais digno de minha felicidade! Talvez o tempo nos ponha frente a frente novamente! Mas sei que eu não o aceitarei!

Sentimento infiel você foi! Lealdade? Não encontrei em você! Como pode? Sentimento infeliz!!!

Ódio, não é seu irmão como eu acreditei tantas vezes! O Ódio é você camuflado e doente! Contaminou meu coração com esse sentimento ingrato tantas vezes e somente hoje eu enxerguei!

Deixe-me! Seguirei meu caminho! Adeus! Adeus!
Sentimentos sentirão sua falta pois você os envenenou com sua grande amiga tristeza!

Fique com suas lembranças ingratas, com as pessoas que um dia você amou!

Àqueles que me julgam! Pergunto-lhes: O que é o amor? Vocês sabem? Tantos desejam e imploram pelo amor sem saber, mas confundem que não se passam de poços de angustias e luxurias, um pecado! E muitos de tanto pecar, jamais saberão me responder esses questionamentos!

Escalarei montanhas, e lá grito! Grito em busca de respostas como um eco!
Infelizmente o eco jamais retornará com a mesma intensidade!

Se eu pudesse colocar todo sofrimento que me causou! Não haveria mensagem que comportasse tais palavras!

Amor! Ingrato e indesejável Amor! Adeus meu caro!

Adeus! Adeus! Adeus!

Tudo isso eu escrevo à você!



(Miguel de Paula)